35 municípios capixabas em risco moderado para a covid-19 no novo Mapa de Risco tem

egundo o governador Renato Casagrande, o fato de a taxa de ocupação total dos leitos de UTI para a doença ter ultrapassado 50% fez com que mais cidades entrassem nessa classificação. Os outros 43 municípios seguem no risco baixo

Mais 30 municípios capixabas entraram no risco moderado para o novo coronavírus, segundo o novo Mapa de Risco, divulgado pelo governo do Estado nesta sexta-feira (27). Essas cidades se juntam a Vitória, Cariacica, Viana, Ecoporanga e Barra de São Francisco, que já estavam no risco moderado e permanecerão nessa classificação na semana que vem, quando começa a vigorar o 33º Mapa de Risco. Os demais 43 municípios do estado permanecem no risco baixo para a doença.

O anúncio foi feito no início da noite desta sexta-feira, pelo governador Renato Casagrande, em um pronunciamento pela internet. De acordo com o governador, o fato de a taxa de ocupação total dos leitos de UTI para covid-19 — contando também os leitos em potencial, mas que estavam sendo usados para outros pacientes — ter ultrapassado 50% fez com que mais cidades entrassem no risco moderado.

“Sempre que a gente passa de 50% de ocupação a nossa Matriz de Risco muda. Ela tem uma vulnerabilidade, que é a ocupação de leitos. Até 50% de ocupação, é uma vulnerabilidade mais baixa. Estamos com mais de 51% dos leitos de UTI, então a Matriz de Risco mudou”, destacou Casagrande.

O 33º Mapa de Risco entra em vigor a partir da próxima segunda-feira (30) e segue até o domingo seguinte (6). Com a mudança, os municípios que agora se encontram no risco moderado terão mais restrições no funcionamento de suas atividades econômicas e sociais.

As principais mudanças acontecem em bares e restaurantes dessas cidades, que passam a funcionar de segunda a sábado, até as 22h, e aos domingos até as 16 horas. Além disso, houve mudança nas regras para a realização de eventos corporativos. Agora, só serão permitidos, nas cidades de risco moderado, eventos empresariais de até 300 pessoas.

RISCO MODERADO: Água Doce do Norte, Águia Branca, Alfredo Chaves, Alto Rio Novo, Anchieta, Barra de São Francisco, Cachoeiro de Itapemirim, Cariacica, Colatina, Conceição da Barra, Divino de São Lourenço, Domingos Martins, Dores do Rio Preto, Ecoporanga, Fundão, Governador Lindenberg, Guarapari, Ibiraçu, Ibitirama, Iconha, Irupi, Itapemirim, Linhares, Mantenópolis, Marilândia, Piúma ,Presidente Kennedy, São Domingos do Norte, São Roque do Canaã, Serra, Vargem Alta, Viana, Vila Valério, Vila Velha e Vitória.

RISCO BAIXO: Afonso Cláudio, Alegre, Apiacá, Aracruz, Atílio Vivácqua, Baixo Guandu, Boa Esperança, Bom Jesus do Norte, Brejetuba, Castelo, Conceição do Castelo, Guaçuí, Ibatiba, Itaguaçu, Itarana, Iúna, Jaguaré, Jerônimo Monteiro, João Neiva, Laranja da Terra, Marataízes, Marechal Floriano, Mimoso do Sul, Montanha, Mucurici, Muniz Freire, Muqui, Nova Venécia, Pancas, Pedro Canário, Pinheiros, Ponto Belo, Rio Bananal, Rio Novo do Sul, Santa Leopoldina, Santa Maria de Jetibá, Santa Teresa, São Gabriel da Palha, São José do Calçado, São Mateus, Sooretama, Venda Nova do Imigrante e Vila Pavão.

Matriz de risco

A Matriz de Risco de Convivência considera no eixo de ameaça: o coeficiente de casos ativos por município dos últimos 28 dias, além da quantidade de testes realizados por grupo de mil habitantes e a média móvel de óbitos dos últimos 14 dias. Já o eixo de vulnerabilidade considera a taxa de ocupação de leitos potenciais de UTI exclusivos para tratamento da Covid-19, isto é, a disponibilidade máxima de leitos para tratamento da doença. A estratégia de mapeamento de risco teve início no dia 20 de abril.

O Mapa de Risco segue as orientações dos boletins epidemiológicos do Ministério da Saúde e recomendações da equipe de especialistas do Centro de Comando e Controle (CCC) Covid-19 no Espírito Santo, que é composto pelo Corpo de Bombeiros Militar, Defesa Civil, Secretaria da Saúde (Sesa), Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes). As decisões adotadas pelo Governo do Estado seguem parâmetros técnicos.