Capixabas premiados em 1º e 2º lugares na Semana Internacional do Café

Os melhores cafés do Brasil são capixabas! A afirmação veio do resultado do prêmio Coffee of the Year (COY) 2020, promovido durante a Semana Internacional do Café (SIC), na última sexta-feira (20), em formato virtual. O Espírito Santo foi campeão com o 1º lugar na categoria Arábica e 2º lugar na categoria Canéfora. Na categoria Fermentação Induzida Canéfora, também foi obtido o 2º lugar. Os cafés capixabas conquistaram ainda o pódio com o 3º Lugar na categoria Arábica, além dos 4º e 5º lugares na categoria Canéfora.

O cultivo de café já está presente na quarta geração da família de cafeicultores composta pelo casal Estevão Denizart Douro e Maria Penha Dias Douro e pelos filhos Thiago Dias Douro e Denizart Dias Douro. O café Douro, produzido em Marechal Floriano, conquistou o paladar dos jurados alcançando a pontuação de 89.79 e o primeiro lugar na categoria Arábica do COY. A fazenda Douro Cafés Especiais, que produz café na região das montanhas há cerca de 70 anos tem, aproximadamente, 10 hectares de café arábica, que é cultivado em altitude de 950 a 1.050 metros.

Família Douro, campeã na categoria Arábia, na propriedade localizada em Marechal Floriano

“A premiação valoriza não só nós produtores, mas toda a região aqui de Marechal Floriano e das montanhas. O prêmio nos dá muita visibilidade de compradores e reconhecimento do nosso trabalho. O Incaper sempre esteve presente dando incentivo, prestando assessoria e orientação técnica para melhorarmos a produção e o cultivo. Também somos gratos a todo apoio”, ressaltou o cafeicultor Thiago Dias Douro.

A conquista também é fruto do trabalho desenvolvido pelo Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), conforme afirmou o extensionista Cesar Abel Krohling, do Escritório Local de Desenvolvimento Rural (ELDR) de Marechal Floriano. A família Douro, como são conhecidos no município, participam do Programa Café Sustentável do Incaper há mais de 10 anos, período também que a produção de café pela família é orientada pelo Instituto.

“A família produz cafés de qualidade superior e já conquistou várias premiações. Com muito trabalho e dedicação, eles cultivam cafés com as boas práticas agrícolas e cuidados especiais na colheita e pós-colheita, orientados por nós. Estamos muito felizes com essa premiação que também é resultado do trabalho de integração da Assistência Técnica e Pesquisa do Incaper”, destacou Cesar Abel Krohling.

De Muqui, saíram os segundos lugares de duas categorias do prêmio. Na categoria Canéfora, o cafeicultor Luiz Claudio de Souza, do sítio Grãos de Ouro, conquistou a segunda posição. Já a cafeicultora Neuza Maria da Silva de Souza, do mesmo sítio, alcançou o segundo lugar na categoria Fermentação Induzida Canéfora. Ambos cafeicultores são acompanhados pelo extensionista Tássio da Silva de Souza, do ELDR de Muqui.

Há sete anos, o Incaper desenvolve um trabalho intensivo de melhoria de qualidade de café nas propriedades dos cafeicultores premiados, atuando desde o trabalho de higienização do terreiro, preparo da lavoura até a colheita, pós-colheita, armazenamento, monitoramento do lote, secagem do café e com degustação dos cafés, realizada pelo extensionista.

“Realizamos o acompanhamento desde o plantio, inserção de novas variedades, acompanhamento de controle, recomendação de adubação e, principalmente, com as informações de quando colher, determinação dos processos de pós-colheita e muitos outros que o cafeicultor vai submeter o café dele. Um dos grandes legados a avaliação sensorial do café. Como temos degustador, o produtor pode fazer o monitoramento e inscrever nos concursos os melhores cafés que ele tem”, explicou o extensionista.

Além dos cafeicultores campeões do COY, o Espírito Santo também foi representado com diversos finalistas capixabas nas categorias do prêmio. Nessas propriedades são cultivadas variedades de cafés oriundas do Incaper, desenvolvidas pelo trabalho de Pesquisa do Instituto. “A variedade que o produtor trabalha e todo sistema de produção é do Incaper. Todos os processos são desenvolvidos pelo Incaper que é fundamental nessas conquistas que os produtores vêm alcançando. As premiações representam um avanço na qualidade dos cafés capixabas. Estamos mostrando ao mundo o desenvolvimento do conilon pode apresentar atributos sensoriais positivos desse café para bebida”, completou Tássio da Silva de Souza.

Para o coordenador de Cafeicultura do Incaper, Abraão Verdin Filho, as premiações do COY e o grande número dos finalistas no prêmio são conquistas históricas para Espírito Santo. “Mais uma vez, o Estado do Espírito Santo apresentando sua competência e força na produção de Cafés Especiais. O Estado é referência mundial em café conilon. Em arábica, nós batalhamos para alcançar o aperfeiçoamento e esse resultado coroa todo o esforço e trabalho desenvolvidos pelo Incaper. Parabéns aos produtores(as) capixabas por essa brilhante conquista”, disse Verdin Filho.

Melhores cafés do Brasil

Criado em 2012, o Coffe of the Year tem como objetivo reunir os melhores cafés do Brasil e eleger os grandes destaques do ano, incentivando assim o desenvolvimento e aprimoramento da produção nacional e a divulgação de novas origens do café. O concurso conta com duas fases. A primeira consiste em receber as amostras de produtores de todo o Brasil, que são torradas e provadas por profissionais Q-Graders e R-Graders licenciados pelo CQI (Coffee Quality Institute).

Na segunda fase, as melhores amostras participam da Semana Internacional do Café e são provadas por compradores nacionais e internacionais. Destas amostras, as 21 melhores classificadas vão para a final do concurso (dez amostras de arábica, cinco de canéfora, três de fermentação induzida arábica e três de fermentação induzida canéfora). 

Informações à Imprensa:
Assessoria de Comunicação do Incaper