Jovens do Espírito Santo classificados para a final do maior programa de lideranças do agronegócio

Quatro jovens do Espírito Santo estão na final do CNA Jovem, o maior programa de lideranças do agronegócio, uma iniciativa da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar). São eles: Cátia Aparecida Simon, Fernando de Oliveira, Joab Luhan Pedrosa e Mayara de Souza.

O programa fomenta a liderança empreendedora e desafia a juventude a alcançar maior protagonismo no agronegócio. São 80 finalistas de todo o país na fase 2 do programa com encontros presenciais e remotos. Os participantes irão vivenciar e experimentar novas formas de pensar e agir, trabalhando em grupo para, além de construir iniciativas de liderança durante um processo de inovação, desenvolver habilidade e competências essenciais para o líder.

“Desde o início do programa, em agosto, foi desenvolvido nos jovens um alto potencial de liderança através do desenvolvimento pessoal. Ter representantes do nosso Estado na fase final do programa é motivo de grande alegria para o agronegócio capixaba. A atividade rural, hoje, carece de novos líderes eles terão o poder de liderar, inovar e potencializar o segmento”, disse Tereza Zaggo, coordenadora de Promoção Social do Senar-ES.

Conheça os jovens do Espírito Santo que estão na próxima fase do Programa CNA Jovem:

Nome: Fernando Acácio de Oliveira

Profissão: Professor de Filosofia do Espírito Santo

Município: Iúna

“Sou filho de agricultor da cafeicultura familiar, produtor de café arábica. A expectativa para a próxima etapa do programa é muito boa! Os 80 jovens selecionados serão muito importantes para o agronegócio brasileiro, através da inovação e do implemento de novas tecnologias. O meu desafio proposto para o Programa CNA Jovem foi: o êxodo rural de jovens da cafeicultura familiar do Espírito Santo. Meu objetivo é estimular os jovens cafeicultores familiares a participarem da pesquisa e extensão acadêmica, através de parcerias junto às universidades. O desafio trata, em especial, a situação de invisibilidade no sistema social político. Os jovens, por diversas vezes, não são reconhecidos socialmente como sujeitos e protagonistas da sociedade”.

Nome: Mayara Correa Dias de Souza

Profissão: Médica Veterinária

Município: Castelo

“Minha expectativa é aprender muito com os conteúdos da CNA e realizar networking com meus colegas para contribuir com desenvolvimento do agro e da suinocultura. Assim como toda atividade pecuária que se intensificou, a suinocultura sofre de um problema que é o destino dos dejetos. Eu enxerguei nesse problema a oportunidade de conscientização dos pecuaristas, pois a partir do momento que sabemos as consequências do descarte irregular para sociedade e para o meio ambiente, e, do potencial econômico desses dejetos, fica muito mais fácil a aceitação de novas tecnologias e mudanças no sentido de solucionar o problema dos dejetos.”

Nome: Cátia Aparecida Simon

Profissão: Pesquisadora e cafeicultora

Município: Santa Leopoldina

“A principal expectativa é representar o Espírito Santo mostrando que o estado está bem representado pelos jovens. Quero construir caminhos que melhorem o meu perfil de liderança no agro. Além disso, quero adquirir mais conhecimento dentro da liderança empreendedora e poder me tornar uma verdadeira influência do agro capixaba. O meu desafio, proposto no Programa CNA Jovem, foi: convencer produtores de café conilon que quando se usam sistemas sustentáveis de manejo de solo, buscando mais qualidade e equilíbrio, a longo prazo alcançamos alta produtividade e melhoria na qualidade da bebida do café.

Nome: Joab Luhan Ferreira Pedrosa

Profissão: Engenheiro agrônomo

Município: Alegre

“É uma grande satisfação estar entre os 80 jovens selecionados de todo Brasil. Ser um dos 4 jovens selecionados para representar o estado do Espírito Santo é um grande desafio e responsabilidade. Para a próxima etapa a expectativa é continuar realizando um bom trabalho, superando desafios e propondo soluções para o agro, em especial do estado do Espírito Santo. O meu desafio proposto para o Programa CNA Jovem foi: Processo regulatório para produção de alimentos orgânicos no estado do Espírito Santo. Resolvi trabalhar com a otimização do processo regulatório e certificação de produtos orgânicos (frutos e hortaliças), com produtores da região da Caparaó. Primeiro porque sou engenheiro agrônomo e sempre trabalhei com agricultura sustentável. Segundo porque acredito muito na agricultura capixaba, em especial nos produtores da região do Caparaó, com quem me identifico, conheço a realidade e o grande potencial produtivo da região.