Mais da metade das cidades do ES estão sem segunda dose da CoronaVac

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) do Espírito Santo divulgou na noite desta quinta-feira (29) que 42 cidades não têm mais doses da vacina CoronaVac para aplicação de segunda dose contra a Covid-19.

O número equivale a quase 54% dos 78 municípios capixabas.

De acordo com a secretaria, são as seguintes cidades:

1.Afonso Cláudio

2.Águia Branca

3.Alegre

4.Alfredo Chaves

5.Alto Rio Novo

6.Anchieta

7.Apiacá

8.Aracruz

9.Barra de São Francisco

10.Bom Jesus do Norte

11.Brejetuba

12.Conceição da Barra

13.Conceição do Castelo

14.Dores do Rio Preto

15.Ecoporanga

16.Fundão

17.Guarapari

18.Ibatiba

19.Iconha

20.Itarana

21.Irupi

22.Iúna

23.Jerônimo Monteiro

24.João Neiva

25.Laranja da Terra

26.Linhares

27.Mantenópolis

28.Marataízes

29.Marechal Floriano

30.Marilândia

31.Montanha

32.Pancas

33.Ponto Belo

34.Presidente Kennedy

35.Rio Bananal

36.Santa Maria de Jetibá

37.São José do Calçado

38.São Mateus

39.Venda Nova do Imigrante

40.Viana

41.Vila Pavão

42.Vila Valério

Com exceção de Fundão, Guarapari e Viana, todas as cidades ficam fora da Região Metropolitana. A capital Vitória segue vacinando.

O estado recebeu 106.200 doses de vacina nesta sexta. Segundo a secretaria, são 104 mil doses da vacina de Oxford e apenas 2.200 da CoronaVac.

Em coletiva realizada nesta segunda (26), o subsecretário Luiz Carlos Reblin falou sobre a falta dessa segunda dose da vacina produzida no Instituto Butantan.

“Todos os estados brasileiros têm dificuldades da segunda dose da CoronaVac. O secretário tem feito um empenho grande junto ao Ministério da Saúde solicitando que doses complementares, que por ventura possam estar disponíveis, sejam remetidas aqui para o Espírito Santo para que a gente dê continuidade na vacinação. Mas se não recebermos essas doses, a população pode ficar tranquila”, disse.

Butantan antecipa a entrega de 600 mil doses da CoronaVac ao Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde admitiu dificuldade no fornecimento de vacinas para segunda dose da CoronaVac.

“O que tem nos causado certa preocupação a CoronaVac, a segunda dose. Tem sido um pedido de governadores, de prefeitos, porque, se os senhores lembram, cerca de um mês atrás se liberou as segundas doses para que se aplicassem. E agora, em face de retardo de insumo vindo da China para o Butantan, há uma dificuldade com essa 2ª dose”, declarou o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, durante sessão no Senado na segunda.

Há cerca de um mês, em 21 de março, o Ministério da Saúde mudou a orientação e autorizou que todas as vacinas armazenadas pelos estados e municípios para garantir a segunda dose fossem utilizadas imediatamente como primeira dose.