Cães x Fogos de Artifício: Medo e Precauções

Com a chegada das festas de final do ano, uma preocupação sempre volta: o medo que muitos cães têm de fogos de artifício.

As reações dos cães a barulhos altos são as mais variadas possíveis. Existem cães que não demonstram medo, outros podem apresentar tremores, salivação, respiração ofegante, batimentos cardíacos acelerados, entre outros. Alguns animais reagem de forma mais intensa, tentando se esconder a qualquer custo, podendo inclusive se machucar, pular ou até morder quem tentar contê-los durante a reação de pânico.

Os cães tem esse medo por diversas causas. Alguns são mais sensíveis desde o nascimento, são filhotes que se assustam mesmo com um assovio mais alto. Se não forem acostumados com barulhos altos desde novos, podem no futuro desenvolver reações mais intensas.

Algumas vezes o medo também pode ser causado por uma associação ruim que o animal faz com barulhos altos, um estímulo negativo como a dor associado pelo animal a um barulho forte, pode fazer com que o medo do barulho se torne permanente.

O animal também pode se assustar com os fogos de artifício simplesmente por não estar acostumado a conviver com barulho. Animais que foram criados em ambientes mais calmos, como casa sem criança ou onde as pessoas conversam baixinho, tendem a se assustar mais do que aqueles criados em casas agitadas, com crianças brincando ou muitas visitas e festas.

A melhor estratégia é preparar seu animal antes da situação de estresse. Exponha o animal gradualmente a barulhos mais altos em momentos agradáveis, como durante brincadeiras ou momentos de carinho. Leve-o para passear em locais movimentados, deixe que ele conviva com crianças brincando e visitas, ligue aparelhos elétricos como secador de cabelo ou aspirador de pó sem forçar o animal a ficar perto. A ideia é fazer com que o animal não associe o barulho a situações estranhas ou que causem medo e dor e sim a situações agradáveis e reconfortantes.

Dicas Importantes

  • O dono deve demonstrar segurança e tranquilidade durante a queima de fogos. Se o animal perceber que seu dono está tenso, pode se assustar ainda mais.
  • Resista à tentação de dar colo ao animal quando ele estiver mostrando sinais de medo, isso recompensará um comportamento ruim.
  • O animal deve ter acesso a um local protegido e seguro onde possa se refugiar.
  • Redobre a atenção com portas, portões e janelas. No momento do pânico alguns animais podem tentar fugir ou pular e acabar se ferindo.
  • Existem, hoje em dia, alguns medicamentos tanto fitoterápicos como convencionais, que auxiliam a acalmar o animal. Procure seu Médico Veterinário e peça orientações para este problema.